Histórico



A Associação PROJETO ACOLHER foi fundada em 1999. Nesta ocasião, só havia um grupo de apoio à Adoção em São Paulo, o Projeto Acalanto. 

Assim sendo, Maria Beatriz A. Sette e Márcia R. Pauli, assistente social e psicóloga judiciária, respectivamente, começaram a convidar pais e pretendentes à adoção para formar o grupo, pois, no exercício de seu trabalho percebiam que: 
  • Os pais se sentiam muito sós durante a gestação adotiva e quando os filhos chegavam,        junto com as imensas alegrias, vinham também as dúvidas, as ansiedades – presentes em qualquer processo de paternidade responsável;
  • Criar filhos, seja eles adotivos ou não é um processo, no qual se aprende, se erra e acerta, se encontra muito prazer, mas também muitas preocupações e frustrações, e de qualquer forma inclui um imenso trabalho, que é geralmente feito com muito amor e disponibilidade;
  • As crianças privadas da convivência com suas famílias e/ou comunidades de origem, independente de idade, cor, sexo, condições de saúde, querem muito encontrar calor humano, afeto, aconchego, limites, educação que lhes permita crescer e se tornar pessoas maduras, capazes de amar e serem amadas.

Assim surgiu o Projeto Acolher: acreditando que, através das reuniões mensais, pode-se promover a troca de experiências, o “escutar” o outro, auxiliando a compreensão de nós mesmos, nos tornando mais humanos, solidários e, acima de tudo, respeitando os que são diferentes de nós.

Acreditamos que não existem verdades prontas e que o grupo pode nos ajudar a construir a nossa verdade.

Mesmo tendo sido fundado por pessoas que, na época trabalhavam na Vara da Infância e Juventude, o Projeto Acolher não tem nenhuma ligação com o poder judiciário ou com as instituições que abrigam crianças em processo de adoção.

Por este motivo, não encaminhamos, nem aceleramos processos de adoção.



Nenhum comentário: