segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Boas Festas

O Projeto Acolher deseja a todos um Natal alegre, simples, cheio de paz e harmonia.

Que se valorize muito mais a felicidade de poder conviver com as pessoas queridas, do que o consumismo desenfreado, que traz consigo o vazio e a solidão.

Agradecemos a todos que estiveram conosco este ano, especialmente aqueles que enriqueceram nossas reuniões compartilhando com generosidade suas experiências, conhecimentos e emoções.

Fazemos votos que seus maiores desejos sejam realizados no próximo ano e desejamos o mesmo a todas as crianças e adolescentes abrigados, que estão impossibilitados de conviver com uma família que os compreenda, os proteja e os eduque.

Esperamos também que em 2015 estejamos empenhados em trabalhar por um mundo mais justo.


Abraços carinhosos


Os voluntários do Acolher


Angela, Bia, Cecília, Célia, Cláudia e Alexandre, Fábio, Leda, Marcia, Marta, Monika e Valter.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Eventos de Novembro de 2014


Como parte de suas atividades, o Projeto Acolher promove semestralmente uma palestra, realizada num auditório que comporte maior número de pessoas do que as que podemos receber em nossos encontros mensais.
Para o evento deste semestre, convidamos a Profª Drª Maria Inês da Silva Barbosa, assistente social, doutora em Saúde Pública pela USP.
Ficamos muito felizes com sua disponibilidade em vir para São Paulo no dia 8 de novembro, já que ela reside em Salvador. Em princípio, ela viria apenas nesta data. No entanto, a pedido da psicóloga Eliana Kawata, a consultamos sobre sua disponibilidade em fazer também uma palestra no dia 12 para entidades de acolhimento. Ela assentiu, desde que providenciássemos sua passagem aérea. Considerando a importância desta oportunidade, que redundaria o melhor atendimento a crianças e adolescentes abrigados, o Projeto Acolher prontamente se responsabilizou por sua vinda.
Assim, no dia 8 de novembro, pais e candidatos à adoção se emocionaram e aprenderam muito sobre questões referentes ao racismo e à adoção.

Racismo e Adoção

E, no dia 12, o público composto majoritariamente por técnicos das entidades de acolhimento e de algumas Varas da Infância e Juventude também ouviram a palestrante sobre o racismo e entidades de acolhimento e a aplaudiram fortemente, demonstrando sua satisfação. Dra. Dora Aparecida Martins, juíza titular da VIJ do Foro Central abriu o encontro, que foi coordenada pela desembargadora Dra. Maria Olivia Pinto Esteves Alves.

Racismo e entidades de acolhimento

Segue abaixo uma das questões retiradas da avaliação respondida por cerca de 70 % das cem pessoas presentes na palestra “Racismo e Adoção”, para dar uma idéia de como as pessoas aproveitaram este encontro.

Para as pessoas que não estiveram presentes, e ou que desconhecem a palavra “sankofa, deixo uma breve explicação, pois além deste nome ou o seu conceito aparecer várias vezes nos comentários abaixo, é de uma beleza e profundidade notáveis. Sankofa pode ser representado como um pássaro mítico que voa para frente, tendo a cabeça voltada para trás e carregando no seu bico um ovo, o que é compreendido que para avançar, para gestar o presente e o futuro, é necessário conhecer o passado.

      
          

Agrupamos os comentários por temas para facilitar a leitura.

Pedimos que as pessoas respondessem as perguntas abaixo da forma mais espontânea possível

Do que você escutou hoje, há algo que o(a) tenha emocionado,? Ou algo que você acredita que vai ficar pensando nisto várias vezes? O quê?
Importância de conhecer o passado:
Olhar para trás e gestar o presente. “SANKOFA”
“SANKOFA”
“A importância da história, do passado”
“Tudo, principalmente a referência do passado”
“Olhar para o início, para trás e entender o hoje”
“O olhar para trás”
“Importância Buscar conhecer, o que não conhecemos”
“As coisas do passado podem nos ensinar hoje”
“A redenção de Cam”
”Nossos mortos não morreram e a redenção de Cam”
“Maneira como enxergar as diferenças das religiões”
“A separação das famílias quando houve o tráfico humano”
“Saber, conhecer, para depois criticar”
Reconhecimento da situação atual ou do  mito da democracia racial
“Como a questão do racismo é presente em nossas vidas e mudar isso só depende de cada um de nós”
“Preconceito”
“O racismo está presente na vida e não percebemos”
“O racismo que ainda vivemos”
“Aspectos enraizados do racismo”
“A discriminação e algo que me perturba (via de mão dupla)”
Construção do futuro desejado
“Qual o legado que quero deixar”
“Igualdade entre as raças”
“Nas leis que obrigam as escolas a dar a história dos afrodescendentes.”
“Sobre a relação entre as raças”
“Sobre o racismo e como lidar com ele”
“A questão de formarmos gente acima de tudo, com olhar de igualdade”
“Meu cabelo não é ruim. Ruim é seu racismo”
“O acolhimento e o espírito desarmado. Gosto de ver que uma luta pode ser travada sem ódio e sem sangue”
“Ser humano, independente da etnia”
Referente às crianças
“Relação de amor e o exemplo e comparações da Bruna e Maria Inês”
“No presente da boneca preta”
“Com o carinho que ela tem com a Bruna”
“A atenção dedicada à criança fará toda a diferença no futuro do ser humano”
“Implicações da adoção de uma criança negra”
“Mostrar para meu filho o quanto ele é importante e tem suas próprias belezas”
“Reforço positivo”
“A conscientização do meu filho com respeito ao que ele é”
“O amor”
“No apego de uma criança a uma pessoa”
“Amor incondicional e ajuda ao próximo”
“Como abordar as origens”
“Saber e acolher”
“Os modelos de beleza, a história dos povos, como trazer tudo isso para a criança”
“A forma como chegar e convencer a criança que ela é especial”
“O medo de como lidar com o racismo nas crianças”
Outros comentários:
“Praticamente tudo”
“Me emocionei com a pessoa da palestrante”
“Trabalhar o diferente”
“Valorização”
“Generosidade, aceitação, tolerância”
“Toda a palestra foi importante e trouxe conhecimento”
“A importância da valorização”

Nosso desejo é que esta sabedoria africana se espalhe pelos quatro ventos e seja exercida.

M. Beatriz A Sette
Presidente do Projeto Acolher

sábado, 8 de novembro de 2014

Racismo e Adoção

AGORA! Auditorio da OAB Santo Amaro lotado para a plestra da Prof. Dra. Maria Inês Barbosa promovida pelo Projeto Acolher - fique atento a programação de nossos próprias eventos e participe!

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Evento do Mês de Novembro - Projeto Acolher




Conheça mais sobre a  trajetória da Profª Drª Maria Inês:


Maria Inês da Silva Barbosa

Assistente Social; Mestre em Serviço Social; Doutora em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da USP, com tese sobre racismo em saúde, reconhecidamente o primeiro trabalho sobre perfil de mortalidade da população negra no país.
Professora Adjunta IV aposentada do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), onde exerceu atividades de pesquisa, ensino e extensão na docência de cursos de graduação em enfermagem, nutrição, e medicina; de especialização em saúde da família, saúde da mulher, e saúde coletiva; e de mestrado em saúde coletiva. A experiência profissional também inclui a atuação em desenvolvimento comunitário, educação popular, e em serviços de saúde. A partir de 2003 integrou o quadro de servidores na gestão da Presidência da República. Atuou em diversas áreas da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR, sendo que em janeiro de 2007 encerrou as atividades como Subsecretária de Políticas de Ações Afirmativas. As atividades articularam diferentes segmentos da sociedade civil organizada, organismos internacionais, instituições públicas e privadas com o objetivo de institucionalizar a Política Nacional de Promoção da Igualdade Racial.
Entre 2007 e 2010 fez parte da equipe do Fundo das Nações Unidas para a Mulher – UNIFEM Brasil e Cone Sul, atual ONU Mulheres, coordenando o Programa “Incorporação das Dimensões de Gênero, Raça e Etnia em programas de combate à pobreza” em 04 países da América Latina, Brasil, Bolívia, Guatemala e Paraguai.
Em 2010 foi Pesquisadora Bolsista Colaboradora do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada – IPEA, na área de políticas de igualdade racial.
Entre 2010 e 2011 atuou como Assessora Regional para Diversidade Cultural e Saúde na Organização Panamericana de Saúde no escritório regional em Washington/EUA.
Em 2012 prestou consultoria em saúde da população negra para a Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde.
Atualmente é Consultora Nacional da Organização Pan-americana de Saúde no Brasil - OPAS/OMS, responsável pela supervisão técnica do Termo de Cooperação entre a OPAS e a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia.  
Ativista de movimento social e negro desde os 15 anos de idade.





quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Duda Ficou!!

Conforme nos explicam os Drs. Rômulo Mendes e Mariana Tonussi,
"o RECURSO DE APELAÇÃO, julgado hoje, foi provido por UNANIMIDADE, inclusive, com recomendação de que o Juiz de 1a instância mantenha a DUDA sob a guarda do Valbio Silva e da Liamar, únicos pais que a criança conheceu durante todos os seus 5 anos e meio de vida.
UMA GRANDE VITÓRIA que, ainda, não encerra o processo. Porém, a partir de agora, será possível demonstrar que o melhor interesse da DUDA só será preservado se ela for mantida com seus pais adotivos."
Esse acontecimento renova as nossas energias e revigora as nossas forças para continuarmos lutando para que toda a criança seja PRIORIDADE ABSOLUTA E O SEU MELHOR INTERESSE SEJA PRESERVADO SEMPRE.
CRIANÇA É SUJEITO DE DIREITOS E NÃO OBJETO DE PROPRIEDADE DE QUEM QUER QUE SEJA!
DUDA FICOU COM SEUS PAIS ADOTIVOS, SUA FAMÍLIA VERDADEIRA!
Parabéns à família, aos brilhantes advogados e à imensa comunidade adotiva que permaneceu unida e solidária, cada um à sua maneira, apoiando.e acolhendo a família de Duda nesta trajetória de tanto sofrimento.
Seguimos na luta com muita perseverança e otimismo!

segunda-feira, 22 de setembro de 2014



Aviso sobre a Reunião de Outubro

Caros amigos,

Informamos que a partir do dia 15/09/14 estarão abertas as inscrições para a reunião do dia 04/10/14 para os grupos "Acolhimento", "Reflexão" e  "MPA - Meu Projeto de Adoção".
Para inscrever-se basta enviar um email para projetoacolher@gmail.com, com os nomes completos dos participantes, telefone para contato e informar se já adotou e se já participou de alguma reunião do Projeto Acolher.
O valor da contribuição, de R$ 15,00/pessoa, deverá ser pago no dia da reunião.

Ressaltamos que para o grupo Meu Projeto de Adoção, a inscrição é válida para os 6 encontros do grupo e poderão inscrever-se neste grupo aqueles que já passaram pelo grupo Acolhimento.

A coordenação

terça-feira, 16 de setembro de 2014

MPA - Meu Projeto de Adoção - Vagas Preenchidas

Queridos amigos,

Informamos que as vagas para a turma de Outubro/14 do grupo MPA já foram todas preenchidas.

Ressaltamos que o preenchimento das vagas se dá rigorosamente por ordem de recebimento dos emails.

Estamos com uma lista de espera e caso hajam desistências, entraremos em contato com as pessoas que estão nesta lista para o preenchimento das vagas.

A próxima turma de MPA está prevista para dezembro/14 e as inscrições para esta turma serão abertas a partir do dia 15/11/14, até o preenchimento das vagas. Lembrando que a procura pelas vagas é grande e as vagas são limitadas.

A Coordenação.

sábado, 13 de setembro de 2014

Reunião de Outubro

Caros amigos,


Informamos que a partir do dia 15/09/14 estarão abertas as inscrições para a reunião do dia 04/10/14 para os grupos "Acolhimento", "Reflexão" e  "MPA - Meu Projeto de Adoção".
Para inscrever-se basta enviar um email para projetoacolher@gmail.com, com os nomes completos dos participantes, telefone para contato e informar se já adotou e se já participou de alguma reunião do Projeto Acolher.
O valor da contribuição, de R$ 15,00/pessoa, deverá ser pago no dia da reunião.

Ressaltamos que para o grupo Meu Projeto de Adoção, a inscrição é válida para os 6 encontros do grupo e poderão inscrever-se neste grupo aqueles que já passaram pelo grupo Acolhimento.

A coordenação

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Licença Paternidade de 120 dias concedida pela primeira vez a casal homoafetivo

A notícia, publicada no site PRAGMATISMO POLÍTICO relata a história de um casal homoafeitvo que adotou 4 crianças,  irmãos com idades de 7 meses a 11 anos, sendo que três deles são soropositivos.
O interessante é que eles citam que foi a participação num Grupo de Adoção que fez eles refletirem sobre a adoção de irmãos.

Para ler a matéria completa clique AQUI

 

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Adoções Internacionais Diminuem

Matéria publicada no site da AASP - Associação dos Advogados de São Paulo


CNJ - Adoções internacionais diminuem nos últimos cinco anos no Brasil
O número de adoções internacionais de crianças e adolescentes brasileiros vem caindo nos últimos cinco anos. De acordo com dados da Polícia Federal, enquanto em 2009 foram registradas 415 adoções, em 2013 o número caiu para pouco mais da metade: 217. Um dos motivos apontados por especialistas para essa queda é o alto custo do procedimento, aliado à crise econômica europeia.
A questão foi discutida no seminário sobre adoção internacional realizado pelo Conselho Nacional de Justiça, na quarta-feira passada (20/8). A maioria das adoções internacionais no Brasil ocorre no estado de São Paulo. Em 2013, das 217 adoções, 79 foram realizadas no estado. De acordo com dados do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), em 2008, foram 191 adoções, 114 em 2012 e, neste ano, apenas 21, até agora. Em Pernambuco, o número de adoções internacionais também vem caindo. De acordo com dados do TJPE, em 2008, foram realizadas 34 adoções, número que caiu para apenas 2 em 2013 e, neste ano, até agora, nenhuma foi realizada (clique aqui para ver tabela).
No Rio de Janeiro, de acordo com dados do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), após um pico de 50 adoções internacionais, em 2011, o número começou a cair. Em 2012 foram realizadas apenas 18; em 2013, 14 e neste ano, até agora, apenas sete. Para Jose Paulo Militão de Araújo, representante da Associazione Volontari per il Servizio Internazionale (AVSI), o alto custo do procedimento de adoção decorre de burocracias que prorrogam a estadia dos estrangeiros no país. "A Justiça pode contribuir muito com a agilidade e celeridade no julgamento dos processos de adoção", defendeu. Na avaliação do secretário-executivo substituto da Comissão Distrital Judiciária de Adoção do TJDFT, Ronaldo Pinheiro Ortegal, o excesso de critérios para adoção na habilitação no país de origem e no Brasil é outra dificuldade. "A inclusão dos estrangeiros no cadastro nacional de adoção feita pela Resolução nº 190 no CNJ deve facilitar bastante o processo", afirmou.
De acordo com ele, os custos de todo o processo - incluindo as despesas com hospedagem dos pais e das crianças, alimentação, passagens e pagamento aos organismos credenciados - giram em torno de US$25 mil. Geralmente, a adoção é feita com o auxílio de organismos estrangeiros credenciados no Brasil junto à Secretaria de Direitos Humanos, que fazem a ponte entre a Justiça do país de origem dos pretendentes à adoção e a Justiça brasileira. Atualmente existem 16 representantes de organismos estrangeiros, sendo 11 de órgãos italianos, dois espanhóis e três franceses. Passo a passo da adoção internacional - Por representar um rompimento linguístico, cultural e geográfico, a adoção internacional é uma medida de caráter excepcional, ou seja, apenas quando não foram obtidas possibilidades de adoção para determinada criança em território nacional. A primeira etapa para os estrangeiros que desejem adotar uma criança no Brasil é a habilitação na autoridade central de seu país de residência, para que o órgão faça a elaboração de um dossiê.
Depois disso, o casal deve escolher um ou mais estados brasileiros para fazer o encaminhamento de seu processo, por meio de organismos credenciados - quando eles existem - ou pela via governamental, diretamente na autoridade estadual denominadas Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional (Cejai), que pertencem aos tribunais de Justiça. Todo o processo de habilitação para adoção internacional ocorre nas Cejais. São exigidos diversos documentos dos pretendentes, como atestado de sanidade física e mental, comprovação de renda, certidão negativa de antecedentes criminais, e estudo psicossocial realizado no país de origem, entre outros. Os documentos apresentados em língua estrangeira deverão estar traduzidos por tradutor público juramentado. O processo judicial é gratuito; no entanto, cabe aos futuros pais arcar com as despesas de estadia e alimentação no país durante a realização do estágio de convivência.
O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) determina o prazo mínimo de 30 dias para a realização do estágio, mas não estabelece limite para a sua duração. Na opinião de Giancarlo Bremer Nones, juiz de direito do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina (TJSC), o estágio de convivência é o primeiro passo concreto da adoção, quando o sonho, na cabeça da criança, está se tornando realidade. Outra preocupação apresentada pelos organismos internacionais que atuam na área é quanto ao estágio de convivência ocorrer no interior dos estados, na cidade de origem da criança adotada, e não nas capitais dos estados.
Na opinião de Érica do Espírito Santo, representante da APC, o estágio realizado nas capitais é muito mais vantajoso devido a maiores possibilidades de hospedagem, lazer e serviços. Além disso, quando o processo é realizado no interior, pode haver ingerência de parentes e conhecidos da criança, atrapalhando o estágio e por vezes até ameaçando os pais adotivos. Após a realização do estágio de convivência, que geralmente dura 45 dias, é preciso aguardar a sentença do juiz, que será dada com base no laudo final da Cejai. Caso a sentença seja favorável à adoção, é necessário ainda a emissão de um certificado de conformidade reconhecendo a sentença do juiz, emitido pelo presidente da Cejai, para então dar entrada ao passaporte e ao visto da criança.
 
Fonte: Conselho Nacional de Justiça
 

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Dados do Cadastro Nacional de Adoção

Dados estatísticos do Cadastro Nacional de Adoção estão disponíveis para consulta na internet
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) passa a disponibilizar no seu Portal na internet estatísticas relativas ao perfil dos pretendentes à adoção e das crianças aptas a serem adotadas no país. A medida faz parte de um esforço da Corregedoria Nacional de Justiça para dar maior transparência aos dados nacionais que o órgão administra. Os dados disponibilizados já eram coletados pelo CNJ desde a criação do Cadastro Nacional de Adoção (CNA), em 2008, mas somente agora estão disponíveis para consulta pública. Clique aqui para acessar.
Quem acessar o CNA poderá extrair informações estatísticas com diversos recortes. No relatório de pretendentes, por exemplo, é possível saber o número exato de homens, de mulheres e de casais inscritos no Cadastro. Também é possível destacar a faixa salarial dos interessados a adotar uma criança, assim como a distribuição dos pretendentes quanto ao seu estado civil. Para entender como funciona o Cadastro, clique aqui.
Em relação ao relatório de crianças, é possível saber o número de crianças disponíveis para adoção por estado e também por comarca, uma vez que estão disponibilizadas informações específicas de cada Vara de Infância e Juventude do país. O relatório disponível também permite saber a faixa etária dessas crianças.
Vale ressaltar que, apesar de os dados disponibilizarem informações pessoais, como por exemplo, idade, número de irmãos, saúde e deficiências de cada um deles, apenas juízes, promotores e serventuários autorizados podem acessar os dados de identificação de cada criança e jovem, durante o processo de adoção.
O CNA foi criado há seis anos pelo CNJ para ajudar juízes das varas de Infância e Juventude no cruzamento dos dados entre aqueles interessados em participar de processos de adoção e as crianças aptas a esse procedimento em todo o país. Atualmente, há mais de 31,6 mil pretendentes a pais e mães em diferentes partes do Brasil e cerca de 5,5 mil crianças disponíveis para adoção.
Também está disponibilizado ao público dados estatísticos do Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Acolhidos (CNCA). O banco de dados foi criado para consolidar informações de todas as comarcas do Brasil referentes a crianças e jovens destituídos ou não do poder familiar que se encontram em abrigos ou em casas de famílias acolhedoras.
Lá é possível destacar o número de crianças acolhidas por sexo, idade e por estado. Acesse aqui.
Informações do site Âmbito Jurídico


 

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Veja 7 famosas que adotaram enquanto eram solteiras

transcrição da matério do site TERRA, para ler o original clique AQUI


"Ser uma celebridade e cuidar da família não é tarefa fácil. As obrigações do trabalho e de casa muitas vezes entram em conflito e é comum as mulheres se estressarem. No entanto, a maternidade ainda é uma fonte de felicidade para muitas e, quem não pode ou não consegue ter filhos biológicos, pode sempre optar por adotar uma criança para construir uma família.
Com as famosas não é diferente. Apesar da agenda cheia, algumas adotam até mais de um filho mesmo com a difícil tarefa de criá-los sem a ajuda de um companheiro.
O site especializado em celebridades Your Tango publicou uma lista com sete artistas que adotaram seus filhos enquanto ainda estavam solteiras. Veja a lista:
Kristin Davis
Típico caso da vida que imita a arte. A atriz, de 46 anos, ficou famosa na pele de Charlotte York na série Sex and the City, que adota uma menina no final da temporada de 2004. Pois Kristin adotou também uma menina em 2011, batizada de Gemma Rose Davis. Embora sua personagem seja muito bem casada, a atriz se mantém solteira e adotou a criança mesmo assim.

Denise Richards
Mais conhecida por ser a ex de Charlie Sheen, a atriz de 40 anos já era divorciada e mãe de dois filhos quando decidiu adotar a menina Eloise Joni em 2011. Pensando bem, considerando a fama de viciado e egocêntrico do ex-marido, Eloise está melhor sendo criada apenas pela mãe!

publicidade
Sandra Bullock
A vida pode ter dado limões à Bullock (na forma de marido traidor, o ex Jesse James), mas a atriz de 47 anos mostrou que sabe fazer uma boa limonada. Em 2010, ela finalizou o processo de adoção de seu filho, Louis, mesmo estando separada.

Sheryl Crow
Apesar de longos romances com Owen Wilson e Lance Armstrong, a cantora de 49 anos (que sobreviveu a um câncer de mama) ainda não encontrou sua alma gêmea. Mas encontrou outros dois homens a quem entregar seu coração: os filhos Wyatt, de 4 anos, e Levi, 1 ano.

Madonna
Mesmo estando separada de seu segundo marido, o diretor Guy Ritchie, em 2008, a cantora Madonna decidiu ir em frente com o processo de adoção de mais uma criança, Mercy James, do Malauí. Mercy se juntou ao outro filho adotivo da popstar, David Banda, de 5 anos, e seus dois filhos biológicos: Rocco, de 11 anos , e Lourdes Maria, de 14. Uma grande e feliz família.

Connie Britton A atriz de 44 anos da série Friday Night Light é a mais recente celebridade solteira a adotar uma criança. Divorciada, ela aguardou três anos até que o processo de adoção de seu primeiro filho, Eyob, fosse finalizado este ano. A criança veio da Etiópia e ambos estão muito felizes com a nova vida"

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Aviso sobre a Reunião de Setembro

Caros amigos,

Informamos que a partir do dia 15/08/14 estarão abertas as inscrições para a reunião dos grupos Acolhimento e Reflexão dia 06/09/15.
Para inscrever-se basta enviar um email para projetoacolher@gmail.com, com os nomes completos dos participantes, telefone para contato e informar se já adotou e se já participou de alguma reunião do Projeto Acolher.
A taxa de inscrição de R$ 15,00/pessoa deverá ser paga no dia da reunião.

A coordenação

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Mundo Maior Repórter - Famílias Modernas - Parte 2/4 (09/08/2014)

Vejam esta matéria sobre Christian Heinlik, do GAASP (Grupo de Apoio á Adoção São Paulo) que adotou dois filhos:





Esta é a parte 2, de um total de 4, as outras partes da reportagem estão aqui:

Mundo Maior Repórter Famílias Modernas

domingo, 10 de agosto de 2014

Dia dos Pais - Pai por Adoção

O Voluntário Fábio, do Projeto ACOLHER, apareceu numa matéria publicada pela Revista DOLCE, que falava sobre diversos pais que criam seus filhos sozinhos. clique na imagem para ampliar e ler a matéria.

Se quiser ler a matéria completa clique AQUI

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Cineasta faz homenagem emocionante a todos os pais adotivos gays do mundo

 
Projeto "Thanks, Dads" transmite a história da infância feliz de um menino de onze anos chamado Tommy e seus dois pais, Jack e Luke; duas pessoas que ele ama incondicionalmente, apesar do que as outras pessoas dizem.

Veja o link e a noticia completa no MSN ESTILO clicando AQUI

sexta-feira, 25 de julho de 2014

27 Filhos

Saiu publicado no YAHOO CELEBRIDADES.
O funkeiro Mr. Catra adotou mais um filho, um menino de 3 anos. Segundo a esposa do Mr. Catra, eles preferem ter filhos a terem carrões e "tomar champanhe no café da manhã".

Vejam a matéria completa em : Mister Catra adota mais um filho; funkeiro já tem outros 26 herdeiros
 
 

segunda-feira, 21 de julho de 2014

BLENDED - Misturado

A fotografa americana Kate T. Parker documentou pequenos gestos do seu sobrinho adotivo Sam no aconchego da nova família

para ver a materia veja o link do MSN ESTILO - clique AQUI

 

quinta-feira, 3 de julho de 2014

ALTERAÇÃO NO HORÁRIO DA REUNIÃO DO MÊS DE JULHO

Queridos amigos,

Em virtude dos jogos da Copa do Mundo, o horário da reunião do mês de julho será alterado conforme segue:


Data:        12/07/2014

Horário:    10:00 às 12:00 
                (se possível chegar 15 minutos antes)
                 Após às 10:15h o portão será fechado e não será permitida a entrada.

Endereço:  Pça Prof. Helio Gomes, 64 - Jd. Campo Grande


As inscrições para os grupos Acolhimento e Reflexão estão abertas até o dia 10/07/2014 ou o preenchimento das vagas.

Para o grupo Meu Projeto de Adoção, as inscrições somente estarão abertas a partir de setembro/14.

A coordenação.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

CRIANÇA SABE QUANDO ADULTO ESTÁ MENTINDO


O assunto pode ser interessante para pais e educadores, e pode ser até citado quando falamos em relevar ou não a adoção para as crianças.
Segundo um estudo publicado pelo MIT - Instituto de Tecnologia de Massachusets -  as crianças percebem quando um adulto não se dá ao trabalho de dar uma informação completa, quando um adulto mente,  seja uma daquelas cabeludas ou uma mentirinha branca—é perda de tempo tentar enganar as crianças pois elas conseguem identificar quando um adulto está mentindo.
 
Veja a matéria completa clicando AQUI
 
Enquanto escrevia este texto lembrei da séria "minta para mim" onde o protagonista sempre demostrava como ele percebia que as pessoas estava mentindo!
 

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Inscrições para reunião de 31/05

Queridos amigos,

As inscrições para o encontro do dia 31/05, para os grupos Acolhimento e Reflexão, já encontram-se abertas.

Ressaltamos que para o Grupo Meu Projeto de Adoção, as inscrições estarão abertas somente a partir do dia 15/09.

Para saber como se inscrever clique aqui.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Evento do Mês de Maio/2014 - PALESTRA






Caros Amigos,

Informamos que no nosso encontro de maio/2014 será realizada uma palestra.

Salientamos que nossas vagas são limitadas, e portanto, é necessário efetuar as suas inscrições, enviando-nos o nome dos participantes e um telefone de contato, para o email projetoacolher@gmail.com.

Excepcionalmente para este encontro, nos reuniremos em outro endereço, confira abaixo!!!

Importante:     Após enviar seus dados aguardem a confirmação da inscrição.
                              


TEMA:     “Fantasmas e medos que povoam nossas cabeças e de nossos filhos"

PALESTRANTE:  Psicóloga Lilian Abasto Iglesias

Data:                          10/05/2014
Horário:                    16:00 às 19:00h 
Taxa de inscrição:   R$ 15,00/pessoa
Endereço:                  OAB-SP - Subseção Santo Amaro
                                    R.Alexandre Dumas, 224
                                    Santo Amaro



Se possível, levar 1 prato de doce/salgado e 1 refrigerante/suco.


Apoio: