terça-feira, 16 de outubro de 2007

Casal teria recebido TV, DVD e R$ 50 em troca do filho de nove meses

publicado no UOL on line em 16/10/2007

Um casal de jovens da Bahia teria recebido uma televisão, um aparelho de DVD e R$ 50 em troca do filho de nove meses. A informação é do jornal "A Tarde". A criança seria entregue a um casal do Rio de Janeiro.
A história sobre o pagamento teria sido revelada pelo próprio pai do menino, Jeanderson do Nascimento Barros, de 18 anos, em depoimento na delegacia. Ele teria dito que a tia da criança recuperou o sobrinho no momento em que os pais "adotivos" esperavam um ônibus para deixar a cidade de Juazeiro, a 500 km de Salvador.
O pai mora com uma adolescente de 17 anos. O casal tem também uma filha de um ano e sete meses. Depois que a denúncia chegou ao Conselho Tutelar, por meio da imprensa, as duas crianças foram recolhidas à Casa de Passagem Rosa Menina.
A avó materna das crianças, Carmelita da Silva Pereira, nega que o neto seria vendido. Ela diz que sua filha chegou a procurar o Conselho Tutelar e o Ministério Público para ajudar na adoção. "Minha filha não tem condições de criar os filhos. A mais velha vive comigo e o pastor da Igreja disse que tinha um casal querendo adotar uma criança. Acho que todo mundo quer o melhor para os filhos e os netos. E foi nisso que a gente pensou, em dar uma vida melhor a ele", disse, em entrevista ao jornal.
O Conselho Tutelar deve encaminhar o caso nesta terça à Promotoria da Infância e Juventude.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Família que tirar filho de abrigo terá R$ 1.500

matéria de MARTA SALOMON, em Brasília, publicada na FOLHA ONLINE em 11/10/2007

O governo federal vai pagar, a partir de 2008, R$ 1.500 a famílias que acolham de volta crianças levadas a abrigos por pobreza. A medida faz parte de um pacote de enfrentamento da violência contra crianças e adolescentes que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lança hoje, véspera do Dia da Criança. Um dos principais objetivos é reduzir o ritmo de encarceramento de adolescentes infratores.
Ainda não foram identificadas as famílias que receberão, em cota única, o dinheiro do governo federal. Isso dependerá de um censo encomendado ao Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).
A Secretaria Nacional de Direitos Humanos calcula que 24% das 120 mil crianças que vivem em abrigos tenham sido levadas para essas instituições, destinadas a vítimas de violência, pela pobreza das famílias. Haverá contrapartidas, ainda não definidas, ao pagamento.
Dados da secretaria mostram também que quase quadruplicou o número de adolescentes internados por prática de violência entre 1996 e 2006. Atualmente, faltariam 3.000 vagas no sistema e haveria mais de 600 adolescentes em cadeias públicas. A intenção do governo é agir para que o internamento seja, de fato, uma medida excepcional e transitória.
"Precisamos virar a página, fazer o desmonte da Febem", disse Carmen Silveira de Oliveira, subsecretária de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, referindo-se aos reformatórios da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor, criados nos anos 70. "A Febem não existe mais no nome, mas existe na prática."
O pacote prevê gastos de R$ 199 milhões na reforma e construção de 49 unidades de internação. As medidas para evitar o encarceramento de jovens devem consumir R$ 534 milhões entre 2008 e 2010. Ao todo, a previsão de gastos é de R$ 2,9 bilhões até 2010, vindos de 14 ministérios e de estatais.
As medidas incluem o financiamento de serviços de acompanhamento de adolescentes que atuem na comunidade e a aceleração da escolaridade nas unidades de internação, que deverão ter bibliotecas, ambulatórios e quadras esportivas.
Segundo Carmen, em cidades como São Carlos (SP), onde o sistema aberto de cumprimento de medidas socioeducativas funciona bem, o índice de reincidência é baixíssimo. Em 60% das capitais, não há programas do tipo.
Os locais das 26 novas unidades de internação -para até 90 adolescentes- ainda estão indefinidos, pois isso depende de acordo com os Estados. A situação é mais crítica em PE e no RJ, diz a secretaria. SP, que já teve metade dos internos do país e reduziu o índice a 39%, foi apontado como "exemplo".
Outra meta é criar, até 2009, um cadastro nacional de adoção, para facilitar a troca de dados entre cidades e conter a adoção internacional. "Os números são obscuros e se prestam até a um suposto comércio de crianças", diz Carmen.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Reunião de outubro foi um sucesso!

A reunião deste sábado do PROJETO ACOLHER contou com a presença de mais de 70 pessoas, que foram divididas em dois grupos. Numa sala (foto) ficaram as pessoas que estavam vindo á nossa reunião pela primeira vez, para tirarem dúvidas, falarem de que momento da adoção estão.
Na sala principal - refeitório - ficaram reunidas as pessoas da reunião temática deste mês, cujo tema era o FILHO SONHADO E O FILHO REAL.
Aguardamos sua visita no próximo encontro! Dia 10 de novembro! Anote em sua agenda!

domingo, 7 de outubro de 2007

160 crianças abandonadas apenas em Minas.

A propósito das recentes notícias de crianças abandonadas por suas mães, A BANDNEWS - Canal de notícias da Rede Bandeirantes - veiculou esta semana uma matéria surpeendente. Apenas neste ano, 30 crianças foram abandonadas nos hospitais de Minas Gerais, perfazendo um total 160 crianças nos ultimos 5 anos.
Números surpreendentes sem dúvida.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

6 de outubro, proxima Reunião do ACOLHER

Neste próximo sábado, dia 6 de outubro, teremos mais uma reunião mensal do Projeto ACOLHER. Estamos decidindo sobre dois temas que sempre geram muitas perguntas: FILHO IDEAL E FILHO REAL.
Esperamos você lá!
DATA: 6 de outubro
HORARIO: para quem vem pela primeira vez - 15:30, para os demais, 16hs
LOCAL: EMEI Francisco Manoel da Silva
ENDEREÇO: Praça Professor Helio Gomes 64, Jardim Campo Grande - na região do Shopping Interlagos
INDICAÇÃO: Pegar a Avenida Nossa Senhora do Sabará até o número 2426, entrar a direita na Rua Norma, contornar a rotatoria pela esquerda e contornar também pela esquerda o muro da escola.
INFORMAÇÕES: 5103.2841 e 9766.3091
Se possível leve algo para contribuir com o nosso lanche.